Mídia Exterior

ABA e Central de Outdoor contestam parcialidade da revista Veja

Duas das mais importantes entidades do setor da propaganda brasileira, a ABA – Associação Brasileira de Anunciantes e a Central de Outdoor, manifestam perplexidade em relação às informações publicadas na última edição da revista Veja (14 de janeiro de 2007) na matéria "Limpeza, afinal".

Em cartas enviadas ontem (18 de janeiro) ao presidente do Grupo Abril, Roberto Civita, e a toda diretoria do grupo, bem como aos diretores de Veja, Eurípedes  Alcântara e Mario Sabino, as entidades contestam as informações publicadas e afirmam que a revista destaca apenas um lado: o dos setores e profissionais favoráveis à Lei Kassab que proíbe a mídia exterior na cidade de São Paulo, elimina empregos e um importante segmento de negócios.

A carta da Central de Outdoor ressalta o início da matéria em que a revista informa: “Em benefício do bem comum, a Prefeitura de São Paulo enfrenta interesses privados e começa a combater a poluição visual” e alerta que sem nenhum fundamento Veja afirma que a vontade da Prefeitura representa a da população. A entidade enviou à revista pesquisa realizada pelo Ibope, mostrando que a maioria da população não é favorável à Lei.

Já a ABA esclarece em carta à revista Veja que a lei é mais ampla do que se imagina. Lembra que o próprio logotipo da Editora Abril, situado no topo do edifício-sede, deve ser removido (segundo o artigo 14º da Lei Kassab em vigor). Alerta, ainda, que o mesmo se aplica ao logotipo do topo e das empenas do edifício da marginal do Tietê, onde se localiza a unidade Gráfica e a sede das editoras Ática e Scipione: devem ser retirados de acordo com a nova lei.

Fonte: http://www.portaldapropaganda.com/midia/2007/01/0005