Mídia Eletrônica

VoIP muda cenário das ligações internacionais

Pesquisa alerta para o acelerado aumento das chamadas por computador, que neste ano devem crescer mais que as feitas por celular

O número de ligações telefônicas internacionais caiu 10% em 2006, comparado à média anual de crescimento global de 15% da última década, e a tendência de desaceleração deverá se manter neste ano, concluiu pesquisa da especialista TeleGeography publicada nesta quinta-feira, 13.

Segundo alguns dados disponibilizados do relatório, que abrange mais de 100 países, o declínio de 2006 para 10% (o menor nível em mais de 20 anos) e foi acompanhado por um salto de 30% dos serviços de voz por internet (VoIP), os quais, pela primeira vez, se equiparam em crescimento aos serviços TDM (Time-Division Multiplexing, um tipo de multiplexação digital que tem como uma das aplicaçõeso padrão GSM de celulares). Mais que isso, em 2007 o crescimento de VoIP deverá ultrapassar o de TDM.

Efeito Skype

Entre 1986 e 2006, indica a pesquisa, o tráfego internacional de voz cresceu de 18 bilhões de minutos para 300 bilhões, o que representou um crescimento médio anual de 15% que refletiu principalmente a desregulamentação do setor, a queda do preço das ligações e o acelerado avanço das assinaturas de celulares.

Segundo a TeleGeography, os grandes responsáveis pelo atual desaquecimento do mercado foram serviços VoIP como o Skype, da eBay, que em 2006 gerou aproximadamente 14 bilhões de minutos de tráfego internacional. "O Skype representa apenas um pequeno share das chamadas, mas está gerando volume suficiente para ter um claro impacto na taxa de crescimento das ligações tradicionais", disse o analista Stephan Beckert no comunicado do instituto.

Para as operadoras, que nos últimos dez anos sofreram uma queda de 70% do preço médio das tarifas internacionais, a tendência é preocupante. "Elas dependem do rápido crescimento do tráfego para compensar a queda de preço. A desaceleração do crescimento do volume atinge diretamente a receita, o que no futuro muito provavelmente levará a novas consolidações do mercado internacional de longa distância", alertou Beckert.

Fonte: http://www.meioemensagem.com.br