Mídia Eletrônica

Emissoras de rádio apostam na internet como opção a programas obrigatórios

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) José Antônio Dias Toffoli manteve a obrigatoriedade da transmissão do programa A Voz do Brasil às 19h, de segunda à sexta-feira. Em sua decisão, da última segunda-feira, 17, o ministro acolhe recurso da União questionando decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que permitiu à Rádio FM Independência, do Paraná, transmitir o programa em horário alternativo.

Para que o assunto não continue sendo decidido pela Justiça, o diretor-executivo da Rádio Estadão/ESPN, Acácio Luiz Costa, pede pressa para a votação do projeto defendido pela Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), que permite a transmissão da Voz do Brasil com início entre 19h e 22h. “Isso pode ajudar na aceleração da votação do projeto  para que a flexibilização se torne uma regra, sem colidir ou descumprir a determinação do Supremo.”

Enquanto o projeto não é votado pelo plenário da Câmara dos Deputados, as emissoras de rádio investem em programação exclusiva na internet. Durante o dia, os apresentadores anunciam que durante o programa obrigatório e também durante o horário político, os ouvintes poderão continuar acompanhando o noticiário normal e atualizado pelo site da rádio.

Esta alternativa é de grande utilidade para quem enfrenta os problemas de trânsito. “Nas grandes cidades, onde a demanda de prestação por serviço é imediata, é importante oferecer aos ouvintes a oportunidade de se manterem informados e poderem enfrentar o caos urbano”, afirma Acácio Luiz Costa.

Os radiodifusores não reivindicam acabar com a Voz do Brasil.O setor defende apenas a flexibilização do horário de transmissão do programa em apenas três horas, para adaptá-lo as necessidades dos ouvintes. Atualmente a Voz do Brasil alcança 22 pontos de audiência às 18h59min.A partir das 19h, a audiência cai para menos de 2%. O setor calcula que com a ampliação do horário de transmissão a audiência do programa passará  para 12%.

Fonte: ABERT